O EQUIPAMENTO

Todo o desporto tem os seus fundamentos

O equipamento de golfe é sem dúvida a área do jogo que se desenvolveu mais rapidamente nos últimos anos. Tudo, desde os tacos a bolas, dos sapatos a roupas impermeáveis, foi revolucionado em termos de tecnologia e design. Os componentes básicos, no entanto, permanecem genericamente os mesmos.

Tacos

Os tacos (ou clubs) são os utensílios principais que servem para bater na bola dirigindo-a para o buraco.

Todos os tacos, apresentam três secções distintas:

  • A “cabeça”
  • A “vareta”
  • A “pega” ou “punho”.

Existem vários tipos de tacos:

  • • Tacos longos, chamados “madeiras” com a cabeça de grandes dimensões, inicialmente feitas de madeira atualmente o seu fabrico é feito em titânio;
  • • Tacos médios e curtos, chamados “ferros”, a cabeça de formato achatado fabricada em aço;
  • Taco “putter”, especialmente desenhado para fazer rolar a bola no green.

Os tacos utilizados pelo jogador, assim como as bolas, em competições oficiais têm que estar homologados.

As “madeiras” mais correntes são numeradas de 1 a 5, embora surjam já no mercado outras madeiras. A “madeira” 1 é designada por “Driver”. Estes números correspondem às características de fabricação, mas muito especialmente ao ângulo de inclinação da face do taco a que se chama “loft”.

Os “ferros” são numerados de 1 a 9, aos quais se juntam ainda os “wedges”, sendo os mais comuns o pitching-wedge e o sand-wedge.

Os ferros classificam-se em três grupos:

  • Compridos, do 1 ao 4;
  • Médios, do 5 ao 7;
  • Curtos, do 8 ao lob-wedge.

A razão da existência destes diferentes “ferros” e “madeiras” deve-se ao facto de permitirem alcançar diferentes distâncias, distâncias estas que variam muito em função da técnica do jogador.

Contudo, o jogador não pode transportar no seu saco mais de 14 tacos durante uma volta convencional de golfe. Entre estes, incluem-se também os putters, que se apresentam no mercado com as mais variadas formas, sendo um taco muito pessoal. Cada jogador opta pelo modelo que lhe transmita maior confiança.

Material de Transporte

Os sacos de golfe apresentam-se com diversos tamanhos e modelos, com bolsas destinadas ao transporte de roupas, bolas, alimentos e bebidas, entre outras coisas que possam ser necessárias para o atleta.

Nas competições de golfe, os jogadores podem transportar até 14 tacos dentro de um saco, podendo este ser transportado às costas ou num carrinho, trolley, o qual poderá ser puxado pelo próprio jogador ou pelo seu caddie. De acordo com as regras de golfe o caddie é a única pessoa que pode ajudar o jogador. Essa ajuda passa por, mas não está limitada, carregar o saco com os tacos ou puxar o trolley, manter os tacos limpos e secos e dar conselhos sobre a forma de jogar.

São também muito utilizados os chamados trolleys elétricos, no entanto o veículo de transporte mais conhecido e que pode carregar os sacos e os próprios jogadores, é o cart ou buggy. Este meio poderá não ser autorizado em todos os campos de golfe e, naqueles onde são permitidos, têm de transitar em caminhos próprios.

Vestuário

A roupa de um jogador de golfe, regra geral, deve ser confortável.

O golfe é um desporto que é praticado muitas vezes debaixo de chuva, pois esta não é elemento impeditivo da prática do jogo, por isso, além do fato próprio, o chapéu de chuva é um companheiro indispensável do jogador.

Os sapatos são outro acessório fundamental e que têm características estruturais muito próprias, sendo a natureza dos materiais em que são feitos muito diferente, consoante se destinem a ser utilizados em dias de chuva ou em tempo seco. Hoje em dia, os sapatos de golfe, genericamente, consideram-se de dois tipos: com ou sem spikes, dispositivos em borracha ou plástico, que garantem uma melhor aderência dos pés dos jogadores ao chão.

A luva é também um utensílio importante para a maioria dos jogadores, apesar de não obrigatório, pois aumenta a aderência da mão à pega do taco, contribuindo para uma maior a eficácia da pancada. Inclusivamente, há modelos específicos para jogar à chuva.

A luva deve comprar-se justa para uma melhor pega. O material em que são fabricadas varia muito, mas, genericamente, as luvas em pele de cabra são consideradas as de melhor qualidade.

Bola

A bola possui na superfície pequenas cavidades, os “dimples”, para reduzir o arrasto aerodinâmico e pode ser construída a partir de uma variedade de materiais projectados para fazer a bola voar mais longe ou gerar mais rotação (spin), fundamental para o controlo desta.

Segundo as normas, deve ter um diâmetro não inferior a 42,37 milímetros e em competições oficiais a bola usada terá de constar na lista de bolas homologadas.

Por fim, recomenda-se que o jogador marque a sua bola de forma distintiva para uma mais fácil identificação. Jogar uma bola que não é a nossa, implica uma penalização ou mesmo a desqualificação numa competição.

Acessórios

O pino ou tee é um pequeno objecto, com um cumprimento máximo de 11,6 mm, de madeira ou de plástico, utilizado como suporte da bola quando é dada a tacada no ponto de partida de cada buraco.

Outro acessório que é utilizado pelos jogadores é o marcador, ou ball-marker. Trata-se de uma pequena peça de plástico ou metálica, para assinalar a posição da bola no green no momento em que é levantada para deixar livre a linha de trajectória da bola de outro jogador que pretenda efectuar o putt ou ainda quando o próprio jogador pretenda limpar a bola antes de atacar o buraco.

Por último, destacamos ainda um objecto muito útil que designamos por pitch repair, um instrumento que, tal como o nome indica, serve para reparar as marcas que as bolas deixam quando caiem nos greens, formando pequenas depressões no terreno. Ao repor o green no seu estado anterior, estaremos a criar condições para melhor executarmos ali a nossa pancada e, não menos importante, não prejudicarmos o putting dos outros jogadores.


© 2021 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE GOLFE. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.